Blade Runner 2049 | Entenda como a personagem do filme original foi recriada


Blade Runner 2049 é um dos filmes mais tecnicamente impressionantes dos últimos anos. Seja por causa da meticulosa direção de Denis Villeneuve (Sicario: Terra de Ninguém, A Chegada), da belíssima e inspirada fotografia do mestre Roger Deakins (Onde os Fracos Não Têm Vez , Dúvida) ou da incrível criação do mundo do longa, que presta tributo ao original ao mesmo tempo em que inscreve seu nome na história recente da sétima arte, 2049 é um triunfo. Mas dentre os inúmeros pontos altos da ficção científica, uma cena se destaca: a ressurreição de Rachael (Sean Young). As informações são do site Slash Film .

Atenção para spoilers de Blade Runner 2049.


Já no final da trama, Niander Wallace (Jared Leto) captura Rick Deckard (Harrison Ford) para tentar descobrir o paradeiro daquela que é a primeira criança nascida do útero de uma replicante. Para ludibriar o veterano blade runner, o malicioso inventor e cientista apresenta uma cópia fiel, perfeita até os últimos detalhes, do grande amor da vida de Deckard. Rachael surge, então, em Blade Runner 2049 como se trinta e cinco anos não tivessem se passado entre a sequência e Blade Runner, o Caçador de Andróides; e a atriz Sean Young, hoje com 58 anos, retorna com sua aparência de juventude. Mas como é que esta sequência impossível e mágica foi feita?

Não é novidade em Hollywood recriar o rosto de alguém conhecido em uma produção, citando apenas um exemplo, a ILM ( Industrial Light & Magic ) recriou digitalmente o rosto jovem da atriz Carrie Fisher (falecida em 27/12/2016) em Rogue One: Uma História Star Wars (2016), e também trouxe de volta à vida as feições do ator Peter Cushing (falecido em 11/08/ 1994), intérprete do general Moff Tarkin no filme original de 1977.

Sean Young em 1982 e em 2017.
A equipe de Blade Runner 2049 fez a mesma coisa, mas com um procedimento diferente, para trazer de volta a replicante Rachel do filme original. E o resultado é impressionante!
A equipe da MPC, empresa contratada para cuidar dos efeitos visuais de Blade Runner 2049, recriou o rosto de Sean Young com 23 anos de idade digitalmente. O que vemos na tela, embora se pareça muito com um rosto real, é na verdade uma imagem gerada por computador. No set de filmagens em que a cena de Rachel seria captada , a personagem foi interpretada por uma dublê de corpo chamada Loren Peta. A atriz vestiu o mesmo figurino da personagem no filme original, o mesmo corte de cabelo e fez a cena com diversos pontos marcados no rosto ( que funcionam como pontos de referência na hora da substituição digital ).

A dublê Loren Peta contracena com Harrison Ford.
Enquanto isso, Sean Young (quem interpretou Rachel no filme de 1982 )esteve presente no set como consultora. Na pós-produção, o rosto de Loren seria substituído por uma cópia digital da jovem Sean Young. Para criar essa cópia, a equipe de Richard Clegg (supervisor de efeitos visuais de Blade Runner 2049) criou um mapa tridimensional do rosto de Loren, marcando em uma modelagem 3D cada ponto do seu rosto: olhos, nariz, boca, em proporções, medidas e texturas reais.

Em seguida, observando fotos e vídeos de Sean Young em 1982, tanto nas cenas de Blade Runner quanto em outros ambientes, os animadores teriam o trabalho de substituir as feições de Loren naquela máscara virtual pelos mesmos pontos equivalentes no rosto de Sean. E agora foi divulgado um novo featurette que explica como foi recriada a personagem, mostrando cada passo e comparando com imagens do original.

Veja:



Ou seja, tudo indica que veremos mais dessa técnica em 2018. A continuação do clássico de 1982 arrecadou US$ 258 milhões em bilheteria ao redor do mundo.

Blade Runner 2049  já está disponível em DvD e Bluray.

Fonte: Slash Film

Postar um comentário

0 Comentários