Últimas Notícias:

Opinião | O que deu errado no novo "A Múmia" ?




Qualquer um que tenha um mínimo de conhecimento a respeito dos monstros do estúdio Universal ficará decepcionado com esse novo filme da Múmia que, sequer chega aos pés do filme de 1999 (que, aliás, já era um reboot). Mas, o que poderia dar errado em um filme envolvendo Tom Cruise (o maior astro de Hollywood) e um dos maiores monstros da Universal?

Bora ler a sinopse do filme:

Na Mesopotâmia, séculos atrás, Ahmanet (Sofia Boutella) tem seus planos interrompidos justamente quando está prestes a invocar Set, o deus da morte, de forma que juntos possam governar o mundo.  Mumificada, ela é aprisionada dentro de uma tumba. Nos dias atuais, o local é descoberto por acidente por Nick Morton (Tom Cruise) e Chris Vail (Jake Johnson), saqueadores de artefatos antigos que estavam na região em busca de raridades. Ao lado da pesquisadora Jenny Halsey (Annabelle Wallis), eles investigam a tumba recém-descoberta e, acidentalmente, despertam Ahmanet. Ela logo elege Nick como seu escolhido e, a partir de então, busca a adaga de Set para que possa invocá-lo no corpo do saqueador.

Com uma (cof-cof-cof) sinopse dessas, um grande astro no elenco, o que poderia dar errado?


Seria o diretor? Bom... Embora seja um ótimo roteirista, este é, apenas, o segundo filme de Alex Kurtzman como diretor, o primeiro foi ‘Bem Vindo à Vida’ de 2012. Kurtzman foi um dos responsáveis pela reinvenção de franquias como Star Trek (ótimos filmes) e Transformers (o primeiro é o melhor). O filme marca o lançamento do tal “Dark Universe”, algo ao estilo da Marvel. Mas, o problema é que, mesmo sendo um roteirista brilhante, Kurtzman não é um diretor tão bom quanto, digamos, um Jon Favreau que ousa em seus filmes, ou um Joss Whedon que sabe realizar boas interações com os personagens. Mas, a culpa é mesmo do diretor? 



No caso de “A Múmia”, NÃO. Após o lançamento do filme (e seu fracasso) a produção chegou a dar declarações acerca das intromissões de Cruise no set de filmagens e na pós-produção do filme. Uma faceta já conhecida do astro, Cruise é o produtor de seus filmes e costuma tirar a autoridade de alguns diretores no set. Parte da reclamação de Alex Kurtzman, é que o astro exigiu mais tempo de tela, com isso, o roteiro foi mudado inúmeras vezes e as participações de alguns personagens foram diminuídas, prejudicando o desenvolvimento dos mesmos. Prova disso é a participação do Dr.Jekyll no filme, algo completamente fora de nexo e um grande desperdício já que temos o brilhante Russell Crowe dando vida ao Doutor. Isso para citarmos um exemplo.

Russell Crowe como Dr. Jekyll


Kurtzman se dá bem nas cenas de ação, é nelas que vemos o talento do diretor como na cena da queda do avião ou a correria nas ruas de Londres. Porém, é no centro desta tempestade de areia irritante para os olhos, é que o filme derrapa, ele não sabe o que é. Se é um reboot ou uma continuação, uma comédia ou um terror, um filme de ação ou aventura. Durante as entrevistas de lançamento, o filme foi vendido como um “reboot”, após a estreia, fãs do original notaram algo bem familiar do filme de 1999, o livro de Amon-rá. Poucos dias depois, os produtores disseram que o longa de 99 está no cânone da nova franquia. Ou seja, estavam totalmente perdidos no projeto e, isso reflete diretamente nas confusões no set de filmagens.



Talvez, se Cruise deixasse o diretor mais a vontade, o resultado fosse outro. Prova disso, são os poucos filmes que darei como exemplo: "Vanilla Sky" , "Jerry Maguire - A grande virada" ,  "Minority report - A nova lei" , "Entrevista com o Vampiro", "Colateral" e "No Limite do Amanhã ", dirigidos respectivamente por Cameron Crowe, Steven Spielberg , Neil Jordan , Michael Mann e Doug Liman. Filmes onde o talento de Cruise é explorado até o último frame, onde seu trabalho como produtor é marcante mas, não tão pesado como nessa adaptação de "A Múmia". E, podemos dizer,  que esse projeto é o seu momento "As Loucas Aventuras de James West( Wild Wild West, EUA, 1999) " de pura megalomania...


Tom Cruise é talentoso e a sua franquia “Missão Impossível” está indo a todo vapor, assim como a franquia “Jack Reacher” , seu novo filme ,"Feito na América" também é um bom exemplo dissoo mesmo não podemos dizer desse novo filme. Ele parece totalmente desconfortável nessa mistura terror/ comédia / ação / aventura. Sua atuação, especialmente quando está ao lado de Jake Johnson está fora de sintonia, Cruise parece não estar curtindo fazer o filme. E, Johnson, que geralmente é um cara engraçado, parece estar trabalhando sob uma ordem de proibição para evitar que roube cenas do Cruise. Aliás, esse é um grande problema do filme, forçar a barra com a interação dos dois, em certos momentos chega a ser óbvio que tentaram fazer uma referencia a química entre David Kessler e Jack Goodman, personagens de “Um Lobisomem Americano em Londres”, clássico de John Landis. Só que, aqui, não funciona. Como foi dito, Cruise e Johnson não tem química e as cenas soam forçadas.

Cruise e Jake

Sofia Boutella faz o que pode com a sua múmia, o personagem, infelizmente não foi bem escrito e aqui ela parece ser uma máquina erótica fixada em Tom Cruise e não mete medo. Uma pena, já que a atriz vinha numa crescente fazendo ótimos trabalhos em filmes como “Star Trek : Sem Fronteiras” e “ Kingsman : Serviço Secreto”. Já Annabelle Wallis, também tem pouco a oferecer com uma personagem que é tão mal escrita como a personagem título, tudo que resta a atriz , é ser a dama em perigo e ser o interesse amoroso do protagonista. Aliás , em um ano onde “Mulher Maravilha” mostrou a coragem, a força, o vigor e o valor das mulheres, o roteiro do novo “A Múmia” chega a ser uma afronta.


A bela múmia Sofia Boutella

Com uma direção de arte bem interessante (reparem na tumba de Ahmanet ou nos artefatos do Dr. Dr.Jekyll) a fotografia deixa a desejar em diversas cenas do longa , não oferecendo nada de novo. No final, o novo filme da "Múmia"( o remake do remake ), é um típico filme do Tom Cruise ( só que no mal sentido). Quer ver cena da corridinha do herói ? Tá lá. Quer ver cena de avião? Tá lá. Quer sorrisinho irônico do herói? Tá lá. Quer ver herói "descamisado"? Tá lá. Quer ver herói beijando mocinha e vilã? Tá lá. Quer ver cena de ação? Putz, tem várias.


Tá tudo lá, só não tem uma boa história. Ao menos, a Universal confirmou que o filme de 1999 está no mesmo universo desse novo filme. No final, bom... É como eu disse; é um típico filme do astro, mas da pior maneira possível. O inicio do tal "Dark Universe" começou mal...


🎬 :★★

PS: Esse é um texto que expressa a opinião de um cinéfilo, de um espectador, não é uma crítica profissional aprofundada sobre o filme.
Share on Google Plus

Sobre o Autor 1º TAKE

O 1º TAKE é um espaço criado para dividir com os leitores assuntos interessantes sobre música,séries, cinema, teatro e arte em geral. Blog editado pelo louco Walther Jr. ,um espectador apaixonado por cinema,teatro,música,cerveja, vinho,pizza,pão na chapa,churrasco,lasanha,empada,pão de queijo... Ou seja,sou normal como todo mundo, não esperem nada profissional por aqui. Forte abraço e um viva a sétima arte.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário